As Sandálias do Evangelho

Tira as sandálias! Calça as sandálias!
Santidade e guerra: Quando ambas caminham para um propósito.


"Prosseguiu Deus: Não te chegues para cá; tira as sandálias dos pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa." Êxodo 3: 5.

Esta palavra de ordem dada por Deus à Moisés teve um impacto em sua vida que o tornou mais capaz para enfrentar as batalhas que ainda viriam.
Ali foi o preparo, a busca da Santificação para que sua vida tivesse um real significado!
A poeira do pecado daquela nação não podereia contaminar o Sagrado!
Foi a luta contra a carne e a busca pela santidade!

"E calçando os pés com a preparação do evangelho da paz..." Efésios 6: 15. 

Eis aí o objetivo da Santidade: o preparo para a guerra!
Os pés, nossa base, precisam estar firmados e fundamentados em um evangelho genuíno, puro (sem poeiras) para que o seu propósito se conclua.
Quando vamos para a guerra, a fundamentação é de extrema importância!
Não podemos vagar em pensamentos ou ideais que fujam da Verdade di…

Anúncio

Mordomos ou patrões??

"Pois qual é o maior, quem está à mesa ou quem serve? Porventura não é quem está à mesa? Eu porém, entre vós sou como aquele que serve." Lucas 22.27


Está acontecendo nos dias de hoje uma prática muito comum entre algumas igrejas evangélicas, do tipo: "venham e sejam abençoados!" É claro que isso não está errado, desde o momento em que procuramos entender o significado de "sejam abençoados." Jesus é o maior exemplo que podemos ter, pois Ele era muito abençoado porque simplesmente era um abençoador, mas nós queremos receber bênçãos e não queremos abençoar, ou pelo menos não nos preocupamos com isso.

O que mais me impressiona é a clareza que a palavra de Deus nos mostra o quanto devemos ser "mordomos" mas insistimos em ser "patrões."
O patrão está sempre dando ordens:
- Faça do meu jeito! Eu determino que seja agora! Você sabe que isso é o melhor pra mim, então faça!

O mordomo está sempre seguindo as ordens impecavelmente:
- Sim Senhor! Exatamente como me pediu! Como preferir Senhor!

O patrão não aceita um "não" como resposta, mas o mordomo sabe que o "não" pode significar que tem algo melhor, mesmo que não entenda no primeiro momento.

O patrão está sempre com a palma da mão virada para cima, afim de receber tudo o que puder obter para acrescentar a sua riqueza, mas o mordomo está sempre com as mãos erguidas em sinal de humildade e devoção ao seu Senhor.

Se pararmos para observar essa pequena comparação, vamos até achar que é bem melhor sermos patrões, pois foi exatamente isso que pensaram os discípulos de Jesus em Lucas 22.24 quando discutiam sobre qual deles seria o maior, mas no versículo 26 Jesus diz que entre eles o maior deve ser o menor, e quem governa como quem serve.

O objetivo desse texto não é criticar igrejas e nem patrões no sentido literal da palavra, mas trazer ao entendimento a nossa missão de servir, de sermos humildes, de estarmos à disposição de quem precisa de nós e assim mudarmos em nome de Jesus nossa posição de "patrões de Deus" para a posição de "mordomos de Deus," porque MAIOR é quem SERVE.

Graça e paz!

Mario Henriques

Contato: mariodalelena@gmail.com
Canal no YouTube: https://youtu.be/1lIQQFU-7ko
Twitter: @mariodalelena

Comentários

  1. Geralmete, as propostas feitas por Jesus, nos Evangelhos, nunca, estiveram ligadas a recebermos alguma coisa. Mas, quase sempre, a darmos algo. Por quê? Porque quem tem Cristo, mesmo não tendo nada, possui tudo.

    "Conhecemos o amor nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos".
    1 João 3.16

    Deus abençoe a todos os Juvenis desta Linda Igreja.

    Alexandre Patrocinio

    ResponderExcluir

Postar um comentário

"Que sejam agradáveis as palavras da minha boca..." Sal.19.14